Você está aqui
Home > Luxo > Arquitetura Comercial – Lojas de Luxo

Arquitetura Comercial – Lojas de Luxo

Imagens: Divulgação

Meu dia a dia como arquiteta não é diferente de qualquer outra pessoa em sua profissão, porém o meu trabalho como arquiteta pode ajudar a modificar a maneira que você consome os produtos de luxo! Será?

Quando as grandes marcas do mundo da moda planejam suas lojas, todos os detalhes são pensados de maneira que a gente como consumidor adquira um produto! O mercado de luxo está se alterando e as lojas também para que se adécuem ao seu consumidor, atualmente temos alguns modelos de lojas como as consumer goods e as flagships.

As consumer goods, como a loja Zara, atrai uma grande massa de clientes, no qual investem em escassez de produtos e um self servise, já as flagships, são lojas que testam diversos artifícios de venda, que posteriormente passam para as demais franquias!

O que te leva a comprar? Já parou para pensar? 85% das pessoas segundo estudos consomem por impulso!!!!  Sendo que este é o artifício usado pelos lojistas, já se perguntou porque balas e chicletes ficam junto ao caixa que você vai pagar? Nas americanas, que o corredor tem diversas ofertas até chegar no caixa? Não é porque a loja é da Chanel, Burberry ou da Ferrari que os mesmo artifícios não são usados! A maior diferença é que não é massificado, as peças são trabalhadas como exclusivas e cada vez mais como raras, colecionáveis, porém, o mais importante é entender o consumidor da marca, desenhar um perfil na hora de projetar!

Dior-abre-nova-loja-no-Cidade-Jardim__Lindizzima

gucci-2

louis-vuitton-yayoi-kusama-selfridges-loja-1a

Antigamente, não muito antigamente como há 50 anos, estou falando de 5, 10 anos atrás, falávamos em visual merchandising, que é quando os clientes compravam com os olhos! Hoje falamos na arquitetura comercial, que anda juntinho com o marketing da empresa, sobre sensorial merchandising onde aplicamos uma série de artifícios que instigam o paladar, tato, olfato, visão e audição. E desta forma fazem com que o consumidor compre pelo impulso!  As lojas trabalham com cheiros que lembram a infância, a Ferrari usa a essência de carro novo, quando vamos ao shopping e sentimos cheiro e já sabemos que estamos próximas a loja de roupa de cama, ou quando ouvimos um som agradável e identificamos como a loja que gostamos.

O mais importante é que a arquitetura, o meu dia a dia, altera o dia a dia de todos os tipos de consumidores!!

Deixe uma resposta

Topo