Você está aqui
Home > Reflexão > A celebração do encantamento

A celebração do encantamento

O encanto: fórmula mágica para atrair felicidade. Nos faz sentir sem definir, nos faz sorrir sem questionar, contemplar sem distrair. Uma espécie de êxtase, que desliga por alguns instantes o piloto automático do nosso funcionamento corriqueiro, nos salvando da monotonia, do tédio e da mesmice. Fator decisivo no despertamento da nossa criança interior, nos permite sentir, olhar com olhos leves e sem julgamentos, apenas nos deixando embalar pela leveza da oportunidade de se maravilhar.

A época de Natal é propícia para o encantamento, quando vivida e celebrada na sua essência. Momento de deixar florescer novas coisas, de olhar com mais generosidade ao nosso redor, de exercer a caridade em seu mais sublime significado: fazer o bem, pelo bem. Agir pelo bem, lutar pelo bem, acreditar no bem. Deveria ser a época de nobres sentimentos nascerem novamente em nosso ser consciente, fazendo perdurar a paz, a empatia e o amor ao próximo, pelo menos até o próximo Natal, onde a renovação e união de todas as vibrações de bem nesta época, deixa as pessoas mais acessíveis para serem amadas, abraçadas, percebidas.

Os votos são de união, prosperidade, amor, paz. E quem, de fato, consegue se entregar ao encanto do Natal, deixa ele invadir seu coração com toda a força e significado, afinal, é quando a celebração do aniversário de quem nos deu o exemplo e vivência do amor, acontece. A gentileza e o carinho tomam conta das relações, a gratidão, a admiração pela família, pelo lar e pelos valores reais auxiliam na conexão com momentos sublimes de paz. Ainda, que por tempo limitado. Ainda, que por territórios delimitados. Alguns conseguem manter as ações de amor e empatia até o Ano Novo, outros até o Carnaval, poucos até a Páscoa. Independente da crença, descrença, convicções e rituais,  o mais importante é a entrega: a permissão de reconhecer a nobreza da data, de repassar às crianças, a esperança e o amor que nos foi ensinado. De se dedicar a auxiliar, de fazer surpresas a quem amamos – ou até a quem não conhecemos. De celebrar a vida – encantar-se, sorrir, amar e compartilhar. E de desfrutar da capacidade de estender o encanto dessa época por todo o ano.

Kalinka Moz Silveira 24, Nov/2016

Deixe uma resposta

Topo